Ações que Valem a Pena

A solução de compromisso para o Sucesso e para o Retorno do investimento na Formação - de modo a que se possa afirmar: VALEU A PENA!

Ainda hoje algumas Organizações questionam os investimentos que realizam em formação, por não sentirem no imediato os resultados que pretenderiam, repousando sobre um descrédito total relativamente à sua qualidade. Também, procurando reduzir os custos, porque não se atrevem a considerá-la um investimento,  efetuam-se sessões rápidas de e-learning em áreas comportamentais de formação, na imitação de uma moda que, nestas áreas específicas, está por provar a sua eficácia.

Outras ainda – e não em menor número – entendem que os conteúdos programáticos da formação devem obedecer àquilo que são as necessidades unilaterais da organização, devendo os formandos recebê-la de forma reconhecida e inquestionável.

Perante um cenário ainda de alguma forma marcado pelos tópicos atrás mencionados, notamos que algumas empresas pioneiras e visionárias têm exatamente a noção que investir em formação de qualidade – e, naturalmente que a qualidade se mede pelos dois clientes fundamentais da mesma: a organização, por um lado, e os seus colaboradores, por um outro – deverá levar a que os conteúdos programáticos conduzam a um alinhamento com a estratégia da empresa, além da sua adequação aos indutores emocionais dos seus colaboradores.

Acontecendo desta forma, as ações de formação tenderão a dinamizar e motivar intrinsecamente os colaboradores da empresa, permitindo a sua assimilação, aceitação, motivação e melhoria evidente de desempenho.

Atrevemo-nos também a referenciar o aspeto pessoal, uma vez que estamos certos que qualquer ação de formação que pretenda levar do saber ao querer fazer terá de possuir uma vertente pessoal - porque afinal de contas, é de pessoas que se trata, quer na conjuntura do mercado, das empresas e dos próprios colaboradores – porque à frente de qualquer Organização estará certamente a pessoa.

Para que o trajeto do saber ao querer fazer se efetue de forma integrada e  contínua, importa que o formador faça prevalecer os seus atributos de liderança, com destaque para a exemplaridade vivida, a qual credibilizará e tornará práticos os conteúdos apresentados, implicando, a alteração do comportamento nos formandos, tal como a sua atitude.

De salientar ainda, que para este efeito de fechar o ciclo do saber ao querer fazer, são necessários basicamente aferição e Coaching, devendo ser efetuados no final da referida ação de formação três procedimentos consecutivos:
•Medição da aceitação da formação global;
•Aferição do que ficou retido em memória;
•Aferição do implementado.

Considerando estes aspetos de alguma forma ilustrativos, encontraremos certamente no final, uma ação de formação em que, em linguagem simplificada permite afirmar: “valeu a pena”.

Um “valeu a pena” para a Organização que a promove.

Um “valeu a pena” para quem a ministra.

Um “valeu a pena” para o mais importante interveniente: quem a recebe; ou melhor, quem a aceita.

E um “valeu a pena” para o mercado, no qual os colaboradores devidamente motivados pela formação vão exercer a sua atividade de forma mais eficaz e, consequentemente, mais rentável para todos.

Somos especialistas em ajudar as Pessoas a maximizar o seu sucesso. Fale connosco.

 


Subscreva a nossa newsletter

Se quer ter acesso a todos os conteúdos em primeira mão, subscreva a nossa newsletter.
© Todos os direitos reservados.
Powered by [dp]Soluções